Estudo mostra que semente do açaí pode tratar transtornos de ansiedade

Os cientistas já sabem que o açaí pode trazer vários benefícios à saúde, como combater o envelhecimento, reduzir o colesterol e fornecer energia. Agora, os pesquisadores descobriram mais uma possibilidade para a fruta que é típica da região amazônica: ser um aliado em tratamentos para transtornos de ansiedade. 

Esse foi o resultado de um estudo realizado pelo grupo de pesquisa de Farmacologia Cardiovascular e Plantas Medicinais, do Instituto de Biologia Roberto Alcantara Gomes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Nos testes realizados com animais, os pesquisadores descobriram que a semente do açaí age de maneira benéfica no sistema nervoso central, desempenhando uma ação ansiolítica.

A investigação é considerada inédita; porque trabalha com o caroço, ao contrário da maioria das pesquisas que estudam a polpa do fruto, como explica a professora Graziele Freitas de Bem, do Departamento de Farmacologia e Psicobiologia da Uerj. 

“Observamos que o substrato hidro alcoólico do açaí tinha um conteúdo maior de polifenóis, que são os compostos químicos que promovem os efeitos benéficos e também é um efeito vasodilatador mais potente. Isso é importante para reduzir o impacto ambiental porque a maior parte do fruto é composta pelo caroço. A polpa é uma pequena parte desse fruto e nós poderíamos dar um bom destino, né? Uma boa utilização para esse caroço que normalmente é descartado”. 

Os pesquisadores já fizeram um pedido de patente do extrato da semente do açaí junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial. A partir dessa concessão, com a parceria de representantes da indústria farmacêutica, eles vão poder dar continuidade aos estudos pré-clínicos para que essa tecnologia possa ser usada em seres humanos no futuro. 

Fonte: Radio Agência

Sair da versão mobile