Saúde

Governador José Melo reúne prefeitos para pactuar medidas de controle da malária em municípios prioritários

Além de Manaus, são considerados prioritários no combate à malária os municípios de Tapauá, Tabatinga , São Paulo de Olivença, São Gabriel da Cachoeira, Santo Antônio do Içá, Lábrea, Ipixuna, Humaitá, Eirunepé, Careiro, Barcelos e Atalaia do Norte.

O governador do Amazonas, José Melo, lançou nesta quinta-feira, 26 de novembro, o Plano de Intensificação de Controle da Malária com reforço no combate à doença em 13 cidades do Estado consideradas de alto risco de incidência de casos. O pacote de R$ 4,2 milhões anunciado contempla recursos para custeio das ações, a aquisição de equipamentos e a doação de mais de 40 mil mosquiteiros para as populações dos municípios.

governador

O Plano destinado ao combate à malária foi formalizado pelo governador em reunião com prefeitos e secretários de saúde dos 13 municípios considerados prioritários para as ações de combate à doença no Amazonas.

O encontro com secretários de saúde e prefeitos foi organizado pelo secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, e ocorreu no auditório do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), onde desde quarta-feira (25) acontece a oficina de avaliação anual de controle da doença, com a participação de coordenadores de endemias destes municípios. “Pactuamos com os prefeitos as medidas do Plano de Intensificação de Controle da Malária 2016, destinadas ao fortalecimento das ações de vigilância e controle da doença no Estado”, enfatizou.

De acordo com o governador, a meta é reduzir em 20% o número de casos no Estado. “Já temos estrutura nesses municípios e estamos trabalhando ano a ano. O que temos que fazer é aportar recursos para comprar equipamentos, o mosquiteiro, e ajudar na mobilização dos municípios para o enfrentamento da doença. Nossa meta é reduzir em 20% o que aconteceu ano passado. Não só na região metropolitana de Manaus. Mas também naqueles municípios em que todo ano tem o recrudescimento do problema. E se esses recursos forem bem aplicados e o planejamento bem executado não tenha dúvidas de que vamos alcançar a meta”, frisou José Melo.

Além de Manaus, são considerados prioritários no combate à malária os municípios de Tapauá, Tabatinga, São Paulo de Olivença, São Gabriel da Cachoeira, Santo Antônio do Içá, Lábrea, Ipixuna, Humaitá, Eirunepé, Careiro, Barcelos e Atalaia do Norte.

Indicadores – Segundo dados da FVS, no período de janeiro a outubro de 2014, o Amazonas registrou 59.023 casos de malária, contra 63.746 notificados no mesmo período deste ano, o que representa um aumento de 7%. A malária é uma doença infecciosa potencialmente grave, causada por parasitas (protozoários do gênero Plasmodium), que são transmitidos de uma pessoa para outra pela picada de mosquitos do gênero Anopheles. Os sintomas iniciais são febre, mal-estar, dor de cabeça, dor muscular, cansaço e calafrios. Ainda não existe vacina disponível contra a doença. O diagnóstico e o tratamento da malária estão disponíveis exclusivamente na rede pública de saúde, e devem ser buscados, principalmente, nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Fonte: Secretaria de Estado de Comunicação Social
FOTOS: VALDO LEÃO/SECOM

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios